Senado e as possibilidades para barrar Luiz Fachin na vaga do Supremo

Maio 06
14:14 2015

O Palácio do Planalto mesmo com toda a estratégia e articulação ainda teme a rejeição do nome do advogado Luiz Fachin para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Fachin precisa passar pela sabatina na CCJ do Senado e ainda ter o nome confirmado pelo plenário da Casa. Acontece, que é no Senado Federal, que gira toda a preocupação palaciana e o presidente do Congresso, Renan Calheiros, já demonstrou que não vai facilitar a vida da presidente Dilma Rousseff em qualquer área.

Renan Calheiros culpa a cúpula palaciana pela inclusão de seu nome no rol dos investigados na operação Lava Jato e desde então bate de frente contra a presidente Dilma Rousseff. O último torpedo de Renan atingiu diretamente a presidente Dilma. Para o presidente do Congresso, a presidente Dilma não falou aos trabalhadores no primeiro de maio porque não tinha o que dizer aos trabalhadores.

De olho em todo esse imbróglio, o advogado Luiz Fachin segue a peregrinação pelo tapete azul do Senado Federal, tentando não ser vítima de balas perdidas na briga entre Renan e Dilma. O governo já tem a desculpa pronta, caso o paranaense não venha ter o nome aprovado, a culpa é da “direita conservadora”, que impediu a nomeação à corte do advogado paranaense, cuja trajetória é ligada à defesa da reforma agrária e dos direitos humanos. (Com conteúdo Mino Pedrosa)

Sobre o Autor

admin

admin