São Paulo aumenta radares nas estradas; até final do ano total será 819

Maio 17
13:34 2015

O número de radares fixos nas rodovias estaduais de São Paulo vai chegar a 819 neste ano, quase quatro vezes mais do que os 212 que operavam em 2013. O total inclui 225 equipamentos que ainda não operam por falta de rede elétrica nas estradas em que estão sendo instalados.

O aumento na fiscalização se reflete na quantidade de multas por excesso de velocidade, que subiu de 2,1 milhões, em 2013, para 3,1 milhões em 2014, alta de quase 50%. Em média, no ano passado, foram autuados 8,7 mil motoristas por dia por excesso de velocidade.

O salto no número de equipamentos ocorreu após pesquisas apontarem trechos com altos índices de acidentes em pontos remotos do Estado e com menor fiscalização. Com 15,4 mil quilômetros, a malha asfaltada sob fiscalização do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) tinha somente 11 pontos com radar fixo até 2013.

Em 2014, o órgão abriu licitação e contratou outros 425 equipamentos. Desses, 200 estão operando. Nos 6,6 mil km de malha concedida à iniciativa privada operam outros 383 radares fixos – em 2013, eram 202.>A fiscalização também é feita com radares portáteis, operados pela Polícia Militar Rodoviária. Os 1,3 mil policiais dispõem de cem equipamentos.

 

Velocidade – O DER também baixou o limite de velocidade em trechos no interior. Em cinco pontos da Raposo Tavares, do km 115 ao km 158, a velocidade máxima passou de 100 km/h para 80 km/h. O DER disse que são trechos com curvas ou maior ocupação das margens e que os pontos de redução de velocidade estão sinalizados.

Na Rio-Santos (SP-55), em Caraguatatuba, um radar ganhou dupla sinalização e confunde motoristas. No equipamento, a placa indica máxima de 50 km/h, mas ao lado outra mostra 30 km/h. O DER informou que a velocidade correta é a do radar (50 km/h) e já determinou a retirada da outra placa. >Na via de acesso ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas, a partir da Rodovia Santos Dumont (SP-79), o limite baixou de 80 km/h para 70 km/h e, agora, há radar. Os dois equipamentos entraram em operação na última quarta-feira.

O representante comercial André Luiz Ribeiro, de 44 anos, de Sorocaba, diz ter sido multado por um radar “fantasma” na Raposo Tavares, em Itapetininga, em fevereiro. Ele foi autuado por transitar a 98 km/h em um local cuja velocidade máxima permitida é de 80 km/h. “Não tem radar ali, nunca teve, nem fixo nem móvel. Só se for um radar fantasma.”

O DER informou que, além do estudo técnico, estatísticas de acidentes são usadas para definir a velocidade nas rodovias. A instalação de radares segue também normas do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Sobre o Autor

admin

admin