Prascidelli denuncia postura de PSDB e PMDB na CPI da Petrobras

Prascidelli denuncia postura de PSDB e PMDB na CPI da Petrobras
Março 19
20:52 2015

O deputado Valmir Prascidelli (PT-SP) disse hoje na CPI da Petrobras que “o PT, que recebeu doação legal de empresas investigadas, é acusado de receber propina, mas o que o PSDB recebeu, quase os mesmos valores, não é propina. E o que o PMDB também recebeu não é propina. Há dois pesos e duas medidas? Será que a disputa política eleitoral não terminou? O PT orienta seus deputados a participar, investigar e criar instrumentos para punir todos aqueles que cometeram delito, em qualquer lugar e de qualquer ordem”, disse o deputado em nome da liderança do partido.

“A Petrobras realizava investimentos de US$ 5 bilhões em 2002 e passou a investir US$ 50 bilhões em 2014. Este crescimento pode ser jogado na lata do lixo. O significado da Petrobras para nossa economia não pode ser entregue às multinacionais, como alguns aqui querem. Nós não premiamos, como aconteceu no passado, dirigentes da Petrobras com cargo no Tribunal de Contas da União para investigar depois as contas da empresa. Nós queremos apurar, queremos fazer o debate político, o bom debate. Não queremos fazer palanque para aqueles que perderam a eleição criarem um terceiro turno”.

“Também não podemos permitir”, continuou Prascidelli, “que a deleção premiada e os vazamentos seletivos levem a opinião pública a compreender a investigação como algo para incriminar um partido político e para condenar pessoas antes da hora. Dizer que serão chamados familiares dos acusados é tortura psicológica. Temos que respeitar o direito ao silêncio, mas também temos que fazer a apuração e a condenação dos que cometeram ilícitos”.

“O Sr. Renato Duque está aqui como acusado, não como condenado e nós reconhecemos o direito constitucional que ele tem – e todos têm – de não serem condenados por antecipação. Ouvimos inclusive o presidente desta Casa, que também aparece na CPI e nas denúncias feitas pelo Ministério Público. Dissemos naquela ocasião e vamos repetir agora, que não há ninguém condenado antes da hora”.

Sobre o Autor

admin

admin