MANDELA: PM colocou 750 policiais na operação; retirada deve durar três dias

junho 10
15:55 2015

A  ação de reintegração de posse de uma área invadida em fevereiro de 2014, denominada Comunidade Nelson Mandela, localizada entre Osasco e Barueri, realizada na manhã de ontem contou com 750 policiais militares, com a ação do Batalhão de Choque, bombeiros e  cavalaria. Segundo os líderes, 15 mil habitantes tiveram que deixar suas residências da área ocupada pela invasão, que fica às margens do Rodoanel Mario Covas. A 2ª Vara da Justiça de Osasco, havia estipulado um prazo de 90 dias para que todos desocupassem o terreno que mede em torno de 400 mil metros quadrados e que está ao lado do lixão. Nas semanas que antecederam a retirada existia um temor, tanto das autoridades, como dos moradores;  que o episódio virasse o novo “Pinheirinho” – desocupação em São José dos Campos  em 2012, que terminou com episódios de violência que mereceram manchetes internacionais.

Mas o cenário vivido nesta terça-feira  foi bem diferente: sem resistência, os moradores deixaram seus barracos e nem queimaram pneus nas pistas do Rodoanel. Se a desocupação foi de relativa calmaria no que diz respeito aos moradores da Comunidade Nelson Mandela e a Polícia Militar. Semana passada, o presidente da Câmara de Osasco Jair Assaf acabou cedendo e disponibilizou um espaço para que líderes do movimento usassem da Tribuna Livre. O prefeito Jorge Lapas, quando indagado à respeito sempre justificou que nada poderia ser feito aos invasores pois a prefeitura tem cadastrado a todos que vivem em situações de extrema pobreza na cidade e que aos poucos vem entregando moradias; a meta deve ultrapassar cinco mil até o fim do mandato. Para ele seria injusto passar à frente aqueles que vieram de fora da cidade e que  nem cadastro possuíam.

Sobre o Autor

admin

admin